quarta-feira, 25 de novembro de 2009

Estar só....



"Mas seus olhos não mentem o cansaço da espera e a tristeza de estar solta, e você fica feia.
É ter a sensação de que ninguém te olha, pelo menos não como você gostaria de ser olhada.
Estar sozinha é estar solta e, no entanto, é estar amarrada ao chão porque nada te faz flutuar, sonhar, divagar.
Estar sozinho, ou estar sozinha, pode acontecer com qualquer um. E você torce para que aconteça com a sua melhor amiga, ou com aquele homem que você gostaria de experimentar como uma pílula para a sua solidão.
Estar sozinha é não suportar ouvir a palavra solidão porque ela faz sentido. E o sentido dela dói demais.
Estar sozinho é ter uma risada nervosa, de quem segura um grito e um choro enquanto ri. Um riso falso para se convencer de que é possível ficar sozinho sem ficar deprimido.
Estar sozinho é usar roupas provocantes sem se sentir sexy com elas. É conferir a caixa de e-mails com uma freqüência que beira a compulsão.
É chorar do nada.
É acordar do nada."

(...)

Tati Bernardi

segunda-feira, 23 de novembro de 2009




___'Olhei para você, extasiada pela perfeição do seu rosto e pensei "fica na minha vida pra sempre". Aqueles olhos brilhantes cercados de um azul tão claro me hipnotizavam... Era real, mas eu sonhava acordada... A sua leveza e o seu afeto me deixavam tonta... Ainda hoje permanece intacta toda essa magia. Sem nenhum arranhão... Apenas meu coração... Parece equivocado... Não consegui pensar em mais nada, além das minhas próprias conclusões totalmente desmedidas... Foi quando relembrei do pensamento que tive, quando nos encontramos pela primeira vez. "Fica na minha vida pra sempre". Eu não pedi sua opinião se me querias por tanto tempo em sua vida... "pra sempre" significa muito tempo, não é?
___Pra mim... "Pra sempre" é pouco... A eternidade não é nossa aliada, nós infelizmente não somos eternos... Eu te queria assim no meu eternamente viver... Enquanto eu estiver por aqui, nesta morada emprestada por Deus, até que o " pra sempre" nos separe... È além da vida... A eternidade mora aqui no coração e termina dentro da alma...
___Então eu juro que te desejo "ETERNAMENTE" bem dentro do meu peito e bem perto da minha alma, desejo seus olhos esmagadores... Desejo suas mãos entrelaçadas às minhas... Quero ter aquele seu abraço forte, que me faz suportar qualquer dor... E por favor, me aperte forte quando eu ficar com medo do escuro, não me deixe ter falta de ar... Fica comigo enquanto eu respirar... Enquanto eu estiver aqui, sinta o quanto te quero!
___Preciso pensar que será assim... Enquanto eu existir... Haverá em mim...

Um amor sem fim!'

[Ju Fuzetto ]

segunda-feira, 16 de novembro de 2009

Nada é muito quando é demais ....




Dizem que a gente tem o que precisa.
Não o que a gente quer. Tudo bem.
Eu não preciso de muito.
Eu não quero muito.
Eu quero mais. Mais paz.
Mais saúde. Mais dinheiro. Mais poesia.
Mais verdade. Mais harmonia.
Mais noites bem dormidas.
Mais noites em claro.
Mais eu. Mais você.
Mais sorrisos, beijos e aquela rima grudada na boca.
Eu quero nós. Mais nós. Grudados.
Enrolados. Amarrados. Jogados no tapete da sala.
Nós que não atam nem desatam.
Eu quero pouco e quero mais.
Quero você. Quero eu.
Quero domingos de manhã.
Quero cama desarrumada, lençol, café e travesseiro.
Quero seu beijo. Quero seu cheiro.
Quero aquele olhar que não cansa,
O desejo que escorre pela boca
E o minuto no segundo seguinte:
Nada é muito quando é demais.

(Caio Fernando de Abreu)

quinta-feira, 5 de novembro de 2009

auto retrato....


"Eu preciso aprender a ser menos.
Menos dramática. Menos intensa. Menos exagerada.
Alguém já desejou isso na vida: ser menos? Pois é. Estranho. Mas eu preciso.
Nesse minuto, nesse segundo, por favor, me bloqueie o coração, me cale o pensamento, me dê uma droga forte para tranqüilizar a alma. Porque eu preciso. E preciso muito. Eu preciso diminuir o ritmo, abaixar o volume, andar na velocidade permitida, não atropelar quem chega, não tropeçar em mim mesma. Eu preciso respirar.
Me aperte o pause, me deixe em stand by, eu não dou conta do meu coração que quer muito. Eu preciso desatar o nó.
Eu preciso sentir menos, sonhar menos, amar menos, sofrer menos ainda. Aonde está a placa de PARE bem no meio da minha frase? Confesso: eu não consigo.
Nada em mim pára, nada em mim é morno, nada é pouco, não existe sinal vermelho no meu caminho que se abre e me chama. E eu vou... Com o coração na mochila, o lápis borrado, o sorriso e a dúvida, a coragem e o medo, mas vou...
Não digo: "estou indo", não digo: "daqui a pouco", nada tem hora a não ser agora. Existe aí algum remedinho para não-sentir? Existe alguma terapia, acupuntura, pedras, cores e aromas para me calar a alma e deixar mudo o pensamento?
Quer saber? Existe.
Existe e eu preciso.
Preciso e não quero. "

- FERNANDA MELLO -

Guarde no coração ....



"Tinha terminado, então. Porque a gente, alguma coisa dentro da gente, sempre sabe exatamente quando termina - ela repetiu olhando-se bem nos olhos em frente ao espelho. Ou quando começa: certos sustos na boca do estômago. Como carrinho de montanha-russa, naquele momento lá no alto, justo antes de despencar em direção. Em direção a quê? Depois de subidas e descidas, em direção àquele insuportável ponto seco de agora.


Penso também outra coisa de gente grande: não adianta muito você se enfeitar todo pra uma pessoa gostar mais de você. Porque, se ela gostar, vai gostar de qualquer jeito, do jeito que você é mesmo, sem brilhos falsos.


Quando penso desse jeito, enumero proposições como: a ser uma pessoa menos banal, a ser mais forte, mais seguro, mais sereno, mais feliz, a navegar com um mínimo de dor. Essas coisas todas que decidimos fazer ou nos tornar quando algo que supúnhamos grandes acaba, e não há nada a ser feito a não ser continuar vivendo.


Eu sei que fico em você, eu sei que marco você. Marco fundo. Eu sei que, daqui a um tempo, quando você estiver rodando na roda, vai lembrar que, uma noite. Sentou ao lado de uma mina louca que te disse coisas, que te falou no sexo, na solidão, na morte.


E recomeçar é doloroso. Faz-se necessário investigar novas verdades, adequar novos valores e conceitos. Não cabe reconstruir duas vezes a mesma vida numa só existência. É por isso que me esquivo e deslizo por entre as chamas do pequeno fogo, porque elas queimam - e queimar também destrói.


Il y a toujours quelque chose d'absent qui me tourmente"(Existe sempre alguma coisa ausente que me atormenta) [...] Que algo sempre nos falta-o que chamamos de Deus, o que chamamos de amor, saúde, dinheiro, esperança ou paz . Sentir sede, faz parte. E atormenta.[...] E se não vier, para seu próprio bem guarde este recado: alguma coisa sempre faz falta.

Guarde sem dor, embora doa, e em segredo...


[Caio F. Abreu ]

"Não quero amor de fim de noite.
Não quero amor de uma noite só. Não tenho mais idade - nem saco - pra micareta.
Não sei mais paquerar ou fazer joguinho de “não te quero só pra você me querer”.
Não preciso que me queiram pra massagear meu ego. Tenho foco. Sou mulher de um homem só.
Não preciso de conversinha com ex-rolos no Messenger porque sei bem o que eu quero. Não preciso de homem pra massagear meu ego.
Não preciso testar meu poder de sedução mantendo possíveis casos amorosos na internet.
Não preciso de ninguém pra me dizer o quanto sou linda, gostosa e inteligente. Pra isso, tenho espelho, academia, papel e caneta.
Não preciso usar meu corpo ou muito menos minhas palavras pra conquistar alguém.
Pra isso, tenho sentimentos que falam por mim."

(Brena Braz)

domingo, 25 de outubro de 2009



- uma das cenas mais tocantes do filme Patch Adams...
(e é claro que eu sempre choro nesta parte...rs)



A Poesia completa:

A Dança - Pablo Neruda

Não te amo como se fosses a rosa de sal, topázio
Ou flechas de cravos que propagam o fogo:
Te amo como se amam certas coisas obscuras,
Secretamente, entre a sombra e a alma.
Te amo como a planta que não floresce e leva
Dentro de si, oculta, a luz daquelas flores,
E graças a teu amor vive escuro em meu corpo
O apertado aroma que ascendeu da terra.

Te amo sem saber como, nem quando, nem onde,
Te amo assim diretamente sem problemas nem orgulho:
Assim te amo porque não sei amar de outra maneira,
Senão assim deste modo que não sou nem és,
Tão perto que tua mão sobre o meu peito é minha,
Tão perto que se fecham teus olhos com meu sonho.

Antes de amar-te, amor, nada era meu:
Vacilei pelas ruas e as coisas.
Nada contava nem tinha nome.
O mundo era do ar que esperava
E conheci salões cinzentos,
Túneis habitados pela lua,
Hangares cruéis que se dependiam,
Perguntas que insistiam na areia.
Tudo estava vazio, morto e mudo.
Caído, abandonado, decaído,
Tudo era inalianavelmente alheio.
Tudo era dos outros e de ninguém,
Até que tua beleza e tua pobreza
De dádivas encheram o outono.

quinta-feira, 22 de outubro de 2009



Ela procurava um principe, ele procurava a próxima
Ela sofria, ele nem ligava.
Ela chorava, ele ria.
Ela falava, ele não ouvia.
Ele mentia, ela acreditava.
Ela o esperava, ele não voltava.
Ela queria coisa séria, ele só queria se divertir.
Ela sorria pra ele, ele ria dela.
Ela acreditava em tudo que ele dizia, ele dizia o mesmo para as outras.
Ela queria pra sempre, ele só por um momento.
Ela se entregava, ele evitava.
Ela falava: eu te amo, ele apenas sorria.
Ela ficava por conteúdo, ele ficava por quantidade.
Ela procurava o príncipe, ele procurava a próxima.
Ela queria "o", ele queria "uma".
Ele vai descobrir que ela era única
ela já descobriu que ele era só mais um...

"é, foi tudo uma brincadeira;
você queria uma noite e eu queria a vida inteira."

( desconheço a autoria )

terça-feira, 20 de outubro de 2009

É preciso não esquecer nada:
nem a torneira aberta nem o fogo aceso,
nem o sorriso para os infelizes
nem a oração de cada instante.


É preciso não esquecer de ver a nova borboleta
nem o céu de sempre.


O que é preciso é esquecer o nosso rosto,
o nosso nome, o som da nossa voz, o ritmo do nosso pulso.


O que é preciso esquecer é o dia carregado de atos,
a idéia de recompensa e de glória.


O que é preciso é ser como se já não fôssemos,
vigiados pelos próprios olhos
severos conosco, pois o resto não nos pertence.

[Cecília Meireles]

domingo, 18 de outubro de 2009

Não pise na grama ...



NÃO PISE NA GRAMA

Placa inútil e amarela:
"Não pise na grama."

Amarela
pela ausência de girassóis.

Inútil
porque não tenho os pés no chão.

[Fabio Rocha]
www.fabiorocha.com.br

(do livro TUDO PELOS ARES)

sexta-feira, 16 de outubro de 2009

A Mala....



A mala.

Hoje descobri que tenho em mãos a chave da minha direção,
do meu destino, do meu trajeto, estou cansada desta caminhada;
desta mala!
Resolvi fazer esta viagem a alguns anos atrás, peguei minha bagagem!
Com sentimentos vivos aflorando minha vida, cheia de esperança...
coloquei meus ideais, meus sonhos e sai carregando no ombro esse enorme peso,
ao longo do caminho percebi os calos deixados em minhas mãos.
Desta coluna envergada pelo peso, das lagrimas de dor... derramadas pela alma!
Tudo foram se perdendo pelo caminho... minhas forças já não era a mesma...
Precisava tirar um pouco do peso, ao abrir a mala pra jogar fora parte daquilo,
que me sufocava... o fracasso do meu casamento, os sonhos desfeitos no chão!
E naquela mala estavam apenas ilusões, onde fui à tristeza, a dor, o desamor!
Perdi a inocência da adolescência... onde a única coisa que queria era viver meu
conto de fada... ser a princesa amada!
Quantos Desencanto?Fui assaltada nesta estrada sem fim,
descobri um pouco tarde mais não tão tarde para ser feliz!
E hoje, sei que eu preciso gostar de mim mesma,
que sou um ser feito de horizontes e liberdade...
Só preciso buscar um novo caminho ilimitado...
onde eu possa vivenciar um novo amor,
dividir a responsabilidade com meu novo parceiro...
que ele seja meu companheiro e cavalheiro...
Que possamos juntos carregar nossa mala cheia de amor,
onde de igual para igual seguremos juntos a alça do nosso destino!

Adelia Prado

"Não sinto nada mais ou menos, ou eu gosto ou não gosto.
Não sei sentir em doses homeopáticas. Preciso e gosto de intensidade, mesmo que ela seja ilusória e se não for assim, prefiro que não seja.
Não me apetece viver histórias medíocres, paixões não correspondidas e pessoas água com açúcar.Só quero na minha vida gente que transpire adrenalina de alguma forma, que tenha coragem suficiente pra me dizer o que sente antes, durante e depois ou que invente boas estórias caso não possa vivê-las.
Porque eu acho sempre muitas coisas - porque tenho uma mente fértil e delirante.Quero grandes histórias e estórias; quero o mais, o demais ou o nada.
Não me importa o que é de verdade ou o que é mentira, mas tem que me convencer, extrair o máximo do meu prazer e me fazer crêr que é para sempre quando eu digo convicto que "nada é para sempre."

[Gabriel Garcia Márquez]

''E assim, aos poucos, ela se esquece dos socos, pontapés, golpes baixos que a vida lhe deu, lhe dará.A moça - que não era Capitu, mas também tem olhos de ressaca - levanta e segue em frente.
Não por ser forte, e sim pelo contrário...por saber que é fraca o bastante para não conseguir ter ódio no seu coração, na sua alma, na sua essência.
E ama, sabendo que vai chorar muitas vezes ainda. Afinal, foi chorando que ela, você e todos os outros, vieram ao mundo."

[ Caio F. ]

"Chegue bem perto de mim.
Me olhe, me toque, me diga qualquer coisa.
Ou não diga nada, mas chegue mais perto.
Não seja idiota, não deixe isso se perder, virar poeira, virar nada.
Daqui há pouco você vai crescer e achar tudo isso ridículo.
Antes que tudo se perca, enquanto ainda posso dizer sim,
por favor, chegue mais perto..."

[ Caio F.]

segunda-feira, 12 de outubro de 2009

12 de Outubro , dia de Nossa Sra Aparecida !



"Cubra-me com seu manto de amor
Guarda-me na paz desse olhar
Cura-me as feridas e a dor me faz suportar
Que as pedras do meu caminho
Meus pés suportem pisar
Mesmo ferido de espinhos me ajude a passar
Se ficaram mágoas em mim
Mãe tira do meu coração
E aqueles que eu fiz sofrer peço perdão
Se eu curvar meu corpo na dor
Me alivia o peso da cruz
Interceda por mim minha mãe junto a Jesus
Nossa Senhora me de a mão
Cuida do meu coração
Da minha vida do meu destino
Nossa Senhora me dê a mão
Cuida do meu coração
Da minha vida do meu destino
Do meu caminho
Cuida de mim.... "

Cuida de todos nós !!! :)

domingo, 4 de outubro de 2009


"Pior do que se sentir perdido é perder-se em si mesmo.

No emaranhado do que você acredita misturado ao que você é ou era. O que você acredita, apostando corrida com o que você mais detesta...

O que você tem, jogando palitinhos com o que você quer. Seu amor e suas dores na linha de chegada e o coração de juiz em dia de clássico. Eu não sei se você entende o raciocínio de quem não tem raciocinado ultimamente ou se entende o porquê de certas coisas que não se explicam. Quando a cabeça não pensa o corpo padece.


Mas quando a cabeça pensa demais será que nossa alma enriquece?"



[Fernanda Mello ]

quarta-feira, 30 de setembro de 2009


.
Eu só queria que fosse verdade tudo isso ......

domingo, 27 de setembro de 2009

Procura-se ...




"Sendo este um jornal por excelência, e por excelência dos precisa-se e oferece-se, vou pôr um anúncio em negrito:

Precisa-se de alguém homem ou mulher que ajude uma pessoa a ficar contente porque esta está tão contente que não pode ficar sozinha com a alegria, e precisa reparti-la. Paga-se extraordinariamente bem: minuto por minuto paga-se com a própria alegria. É urgente pois a alegria dessa pessoa é fugaz como estrelas cadentes, que até parece que só se as viu depois que tombaram; precisa-se urgente antes da noite cair porque a noite é muito perigosa e nenhuma ajuda é possível e fica tarde demais. Essa pessoa que atenda ao anúncio só tem folga depois que passa o horror do domingo que fere. Não faz mal que venha uma pessoa triste porque a alegria que se dá é tão grande que se tem que a repartir antes que se transforme em drama.
Implora-se também que venha, implora-se com a humildade da alegria-sem-motivo.
Em troca oferece-se também uma casa com todas as luzes acesas como numa festa de bailarinos. Dá-se o direito de dispor da copa e da cozinha, e da sala de estar.

P.S. Não se precisa de prática. E se pede desculpa por estar num anúncio a dilacerar os outros. Mas juro que há em meu rosto sério uma alegria até mesmo divina para dar."

Clarice Lispector

Tic - tac .....

segunda-feira, 14 de setembro de 2009



Se a gente não tivesse feito tanta coisa
Se não tivesse dito tanta coisa
Se não tivesse inventado tanto
Podia ter vivido um amor grand' hotel

Se a gente não fizesse tudo tão depressa
Se não dissesse tudo tão depressa
Se não fizesse tudo tão depressa
Se não tivesse exagerado a dose
Podia ter vivido um grande amor

Um dia um caminhão atropelou a paixão
Sem teus carinhos e tua atenção
O nosso amor se transformou em "bom dia"

Qual o segredo da felicidade
Será preciso ficar só pra se viver
Qual o sentido da realidade
Será preciso ficar só pra se viver

Se a gente não dissesse tudo tão depressa
Se não fizesse tudo tão depressa
Se não tivesse exagerado a dose
Podia ter vivido um grande amor

Um dia um caminhão atropelou a paixão
Sem teus carinhos e tua atenção
O nosso amor se transformou em "bom dia"

Qual o segredo da felicidade
Será preciso ficar só pra se viver
Qual o sentido da realidade
Será preciso ficar só pra se viver
Só pra se viver
Ficar só

domingo, 13 de setembro de 2009

Quero um amor que ame ...


"Sempre quis um amor
que falasse
que soubesse o que sentisse.

Sempre quis um amor
que coubesse no que me disse.

Sempre quis um amor cujo
BOM DIA!
morasse na eternidade de encadear os tempos:
passado presente futuro


Agora, diante da encomenda
metade de mim rasga afoita
o embrulho
e a outra metade é o
futuro de saber o segredo
que enrola o laço,
é observar
o desenho
do invólucro e compará-lo
com a calma da alma
o seu conteúdo.

Sempre quis um amor
que acontecesse
sem esforço

cuja demora de ocaso
estivesse imensamente
nas nossas mãos.
Sem senãos.
Sempre quis um amor
com definição de quero
sem o lero-lero da falsa sedução.

Sempre quis um amor não omisso
e que sua estórias me contasse.
Ah, eu sempre quis um amor que amasse."

(trechos de 'da chegada do amor' - elisa lucinda)

sábado, 5 de setembro de 2009

Recomeçar....



Boa noite !
Recomeçar ! por um ponto final, escrever : The end !
Isso é tão dificil né? seja pra quem decide que não quer mais, seja pra quem precisa aceitar que terminou....
Doi, mas não adianta, não há outro combustivel pra nossa mudança,essa dor passa,pra alguns demoram mais, pra outros menos, mas sempre passa, o que tem que ficar é a certeza, que fizemos tudo que podiamos pra que fossemos felizes,nada de dúvidas, só a certeza que demos o nosso melhor, mas não era a nossa vez naquele momento !
Pra "ilustrar" essa conversa, me lembrei desse texto do Drummond,todos já devem ter lido, mas seria necessario se o soubessemos guardadinho na mémoria !..rs

Um Beijo e ótimo domingo à todos !!



"Não importa onde você parou...
Em que momento da vida você cansou...
O que importa é que sempre é possível recomeçar.
Recomeçar é dar uma nova chance a si mesmo...
É renovar as esperanças na vida e, o mais
importante...
Acreditar em você de novo.
Sofreu muito neste período? Foi aprendizado...
Chorou muito? Foi limpeza da alma...
Ficou com raiva das pessoas?
Foi para perdoá-las um dia...
Sentiu-se só diversas vezes?
É porque fechaste a porta até para os anjos...
Acreditou que tudo estava perdido?
Era o início da tua melhora...
Onde você quer chegar? Ir alto?
Sonhe alto... Queira o melhor do melhor...
Se pensarmos pequeno... Coisas pequenas teremos...
Mas se desejarmos fortemente o melhor e, principalmente, lutarmos pelo
melhor...
O melhor vai se instalar em nossa vida.
Porque sou do tamanho daquilo que vejo, e não do tamanho da minha altura."

(Carlos Drummond de Andrade)

terça-feira, 1 de setembro de 2009



"Uma vida sem sustos. É o que desejo pra mim. Não estou dizendo uma vida sem decepções, frustrações ou êxtases: sem sustos apenas. Quero aceitar a potência dos meus sentimentos e não ficar embaraçada diante de reações incomuns. Poder receber uma ventania de pé, mesmo que ela me desloque de onde eu estava. De pé, mesmo com medo. Não mais em posição fetal."

"Eu me exijo desumanamente. Tenho impressão de que se eu não tiver uma vida bem argumentada ela vai se esfarelar em minhas mãos. Sou garimpeira, quero sempre cavoucar a razão de tudo, não consigo dar dois passos sem rumo determinado."


"Vive melhor quem duvida. Diante da adversidade, duvida que ela vença. Diante da bonança, duvida que ela dure para sempre. Vive melhor quem respeita o rival. Diante de um adversário desconhecido, infla o peito. Diante de um adversário menor, permite que ele escolha as armas. Vive melhor quem se movimenta. Quem se rende está fora de combate."

(do Livro Divã - Martha Medeiros )

segunda-feira, 31 de agosto de 2009


'"Tenho um coração que quase me engole, uma força que nunca me deixa e uma rebeldia que às vezes me cega.Tenho um jeito de viver selvagem, mas sou mansa com quem merecer. Não gosto de café morno, de conversa mole, nem de noite sem estrela. Sou bem mais feliz que triste, mas às vezes fico distante. E me perco em mim como se não houvesse começo nem fim nessa coisa de pensar e achar explicação pra vida. Explicação mesmo, eu sei: não há. E me agarro no meu sentir porque, no fundo, só meu coração sabe.E esse mesmo coração que me guia e não quer grades nem cobranças, às vezes me deixa sem rumo, com uma interrogação bem no meio da frase:

O que eu quero mesmo?"

[Fernanda Mello]

sábado, 29 de agosto de 2009


Tenho trabalhado tanto, mas sempre penso em vc. Mais de tardezinha que de manhã, mais naqueles dias que parecem poeira assenta e com mais força quando a noite avança. Não são pensamentos escuros, embora noturnos…
Sabe, eu me perguntava até que ponto você era aquilo que eu via em você ou apenas aquilo que eu queria ver em você. Eu queria saber até que ponto você não era apenas uma projeção daquilo que eu sentia, e se era assim, até quando eu conseguiria ver em você todas essas coisas que me fascinavam e que no fundo, sempre no fundo, talvez nem fossem suas, mas minhas, e pensava que amar era só conseguir ver, e desamar era não mais conseguir ver, entende?
Eu quis tanto ser a tua paz, quis tanto que você fosse o meu encontro.

Quis tanto dar, tanto receber. Quis precisar, sem exigências. E sem solicitações, aceitar o que me era dado. Sem ir além, compreende? Não queria pedir mais do que você tinha, assim como eu não daria mais do que dispunha, por limitação humana. Mas o que tinha, era seu.
Mas se você tivesse ficado, teria sido diferente?
Melhor interromper o processo em meio: quando se conhece o fim, quando se sabe que doerá muito mais — por que ir em frente?
Não há sentido: melhor escapar deixando uma lembrança qualquer, lenço esquecido numa gaveta, camisa jogada na cadeira, uma fotografia — qualquer coisa que depois de muito tempo a gente possa olhar e sorrir, mesmo sem saber por quê. Melhor do que não sobrar nada, e que esse nada seja áspero como um tempo perdido.

Tinha terminado, então. Porque a gente, alguma coisa dentro da gente, sempre sabe exatamente quando termina.

Mas de tudo isso, me ficaram coisas tão boas. Uma lembrança boa de você, uma vontade de cuidar melhor de mim, de ser melhor para mim e para os outros. De não morrer, de não sufocar, de continuar sentindo encantamento por alguma outra pessoa que o futuro trará, porque sempre traz, e então não repetir nenhum comportamento. Ser novo.
Mesmo que a gente se perca, não importa. Que tenha se transformado em passado antes de virar futuro. Mas que seja bom o que vier, para você, para mim. Te escrevo, enfim, me ocorre agora, porque nem você nem eu somos descartáveis.
. . . E eu acho que é por isso que te escrevo, para cuidar de ti, para cuidar de mim – para não querer, violentamente não querer de maneira alguma ficar na sua memória, seu coração, sua cabeça, como uma sombra escura.
( Caio F. Abreu )
Caio ....
Como sempre, falando por mim !
O que eu tinha era seu, e você não quis, mas ficará tudo guardado comigo, porque são meus melhores sentimentos.....

Simples assim ! Será ? ..rs


Durante muito tempo acreditei que o que me fazia amar um homem era a inteligência. Ficava enfeitiçada com citações, elucubrações e teses. Mas não era. De nada adianta um perito em física nuclear, se ele não rir das pequenas besteiras que faz, se não souber aproveitar um sábado quente simplesmente não fazendo nada (e curtindo o ócio), se virar um psicopata quando alguém o fecha no trânsito. Então saquei: bom humor era o que mais me atraía.
Sempre achei delicioso estar com alguém que não vê o mundo como uma grande e monstruosa boca cheia de dentes prestes a mastigá-lo, que vive sem arrastar correntes, faz de tudo uma possível piada. Só que nem tudo é uma piada e, em certas horas, tudo o que quero é alguém que me escute e diga algo que me conforte a alma. E, nesses momentos, o pior que pode acontecer é ser levada na piada - existe uma grande diferença entre alegria de viver e recusa a sair da infância. Pois é, não era bom humor o que me fazia amar alguém: era, antes, sensibilidade.
Telefonemas de bom-dia, atenção a informações aparentemente banais, mas que dizem muito a meu respeito, não ficar azedo e arredio por causa das minhas pequenas (ou grandes) oscilações de humor - tudo o que eu podia querer. Quase tudo. Tenho personalidade forte e só sobrevive ao meu lado um homem que grite comigo quando eu passar dos limites do bom senso, demonstre desagrado quando eu exigir demais e oferecer de menos. Preciso ser cuidada, mas tenho que sentir que quem está comigo é um homem de verdade e não um principezinho criado pela avó. Quero ser domada, tomada. Mais uma vez minha certeza caiu por terra: nem inteligência, bom humor ou sensibilidade eram o que me fazia amar alguém. Era - isso, sim - virilidade.
Mal abrir a porta da sala e ser consumida por beijos. Ter a roupa arrancada no caminho da cozinha, ser jogada na mesa de jantar sem tempo pra pensar no que está acontecendo, só sentir e saber o tesão incontido daquele homem por mim. Ser desejada com urgência e paixão é um dos maiores elogios que uma mulher pode receber, mas só ser desejada de nada adianta, pelo menos não depois da décima trepada monumental: quando acaba o suadouro, o que resta? Se pouco importa o saldo, o que interessa mesmo é a movimentação, então estamos feitos. Mas, se existe a possibilidade de ser esmagada pelo vazio de sentido após o orgasmo, de nada vale. Pelo menos se não vier acompanhada de carinho. Taí: pensei, então, que carinho era a pedra fundamental pra despertar meu amor.
Mas logo descobri que não era. Carinho é um sentimento abrangente demais: nos invade desde a visão de um cachorro abandonado até a palavra confortadora para alguém que pouco nos importa mas a quem também não queremos mal. Não bastava, era muito pouco. Daí constatei que o essencial para que eu amasse alguém era notar no outro a vontade de ficar, o desejo de estar comigo. Constatei coisas demais e fiquei paralisada diante do ideal que havia criado: absurdo e fictício.
Hoje sei que toda enumeração é uma estupidez e qualquer tipo de formulário emocional, uma passagem sem escalas pra frustração. Claro que gosto de homens cultos, atenciosos, interessantes, divertidos e viris - seria mentira negar.
Mas a verdade é que, para que eu ame alguém, basta que eu ame alguém.

Porque, quando se precisa justificar o amor, é porque ele não existe.

Simples assim.

( Ailin Aleixo - Crônica :Marque um X )

sexta-feira, 28 de agosto de 2009

Eu não me economizo....

Quem poupa, tem? Não sei me economizar.
Eu não me poupo. Nunca soube fingir. Acho uma espécie de traição fechar os olhos para as vontades. Se você sente, sinta. Não maquine ou arquitete qualquer coisa mirabolante, apenas sinta. Não vou negar que já fugi, já sim. Inúmeras vezes. Eu teria que pedir dedos emprestados para conseguir contar. Nem acho o fugir ruim, às vezes se faz necessário. Não é errado, o sentimento vai dentro da sua roupa, o problema gruda nas suas costas, mas na fuga você se encontra. Ou então você larga o que já está usado e quase caindo aos pedaços lá no meio do caminho. É uma espécie alternativa de exorcismo. Sai daqui, sai daqui. Adeus, demônios. A fuga te liberta do diabo. Ou então faz com que você perca o medo de voltar. Porque nós sempre precisamos voltar para algum lugar. O que foge e o que volta. O que vai e o que retorna. É você. Um você diferente. Um você modificado.

Se tudo vem da infância, vou voltar lá para o início, no tempo em que eu era mão aberta com a mesada e distribuía picolés. Não é o dinheiro, é o gesto. Sempre gostei de fazer mimos e agrados. Quando eu quero, que fique claro. Com quem merece, que fique evidente. Continuo a mesma, hoje em dia não tenho mais atração por sorvetes, meu negócio é outro.

Prefiro esbanjar emoções. Mesmo que doa. Mesmo que, um dia, eu possa me arrepender. Meus arrependimentos duram pouco, alguma coisa me cutuca e diz olha, que bom que você fez. Que bom que você teve coragem. Que bom que você sente. Que bom que você tenta. Tentar é se arriscar. E tudo na vida tem metade de chance de dar certo. E a outra metade? De dar errado. Mas não é poupando que você saberá.

Quem é mão de vaca com os próprios sentimentos acaba por não viver. Não seja econômico. Mas use menos água para lavar a louça....

Eu não me economizo mesmo, sempre sigo meu coração, normalmente minha razão desaparece sempre...rs
As vezes por seguir tanto meu coração meto os pés pelas mãos,digo coisas que não precisaria dizer, sofro mais que precisaria sofrer, não não quero mudar meu jeito jamais, quero que gostem de mim assim, entendendo que entrego meu coração para viver o amor, com toda intensidade !

Beijos á todos !

PS: Muito obrigada pelos meus "seguidores", fico feliz em ver que vocês sempre passam aqui e leem o que eu escrevo !

terça-feira, 18 de agosto de 2009



"Os que não se perguntam se alguém estará esperando
Se será verdade
Ou se será mentira
Os que não se perguntam se alguém vai escutar
Se estarão perdendo tempo
Os que não se perguntam se irão ganhar
Se haverá alívio
Se faltará muito
Os que não se perguntam se o dia será bom
São os mesmos que também não se perguntam se o copo está meio vazio
Porque para eles o copo está sempre meio cheio
Viva o que é bom.

propaganda - Coca Cola"

Boa noite,amigos !
ando meu sumidinha do Blog !..rs
mas não me esqueci daqui não, me faz bem colocar aqui,pelas palavras de grandes escritores e por imagens um pouquinho do que penso, o reflexo do meu "estado de espirito" digamos assim !
Eu não apareci esses dias, pq passei por uns dias muito sofridos,uma dor, um misto de decepção, de raiva, de que isso era previsivel, mas que no fundo eu tinha esperança que não fosse ....Enfim, um mistura de emoções,que no momento, palavras nenhuma, conseguiriam transmitir !
Vai passar, eu sei que vai!,mais dia menos dia,vai acabar! Só espero que não demore muito ...rs
Que Deus coloque em meu caminho pessoas com sentimentos honestos e verdadeiros,é só o que peço !

Um beijo à todos !
muito obrigada a vocês que passam aqui, me leem, deixam recadinhos!
fico muuuuito feliz por isso! de verdade !

PS: Postei esse comercial da Coca, que gosto muito, e expressa tudo o que sinto e quero nesse momento :VIVER O QUE É BOM ! Só ....

E que, eu continue achando que o meu copo esteja sempre "meio" cheio !

E o seu ? como é ?
Reflitam ....

domingo, 9 de agosto de 2009

Preciso de você ...




Meu nome é Caio F.
Moro no segundo andar,
mas nunca encontrei você na escada.

"Preciso de alguém, e é tão urgente o que digo. Perdoem excessivas, obscenas carências, pieguices, subjetivismos, mas preciso tanto e tanto. Perdoem a bandeira desfraldada, mas é assim que as coisas são-estão dentro-fora de mim: secas. Tão só nesta hora tardia – eu, patético detrito pós-moderno com resquícios de Werther e farrapos de versos de Jim Morrison, Abaporu heavy-metal -, só sei falar dessas ausências que ressecam as palmas das mãos de carícias não dadas. Preciso de alguém que tenha ouvidos para ouvir, porque são tantas histórias a contar. Que tenha boca para, porque são tantas histórias para ouvir, meu amor. E um grande silêncio desnecessário de palavras. Para ficar ao lado, cúmplice, dividindo o astral, o ritmo, a over, a libido, a percepção da terra, do ar, do fogo, da água, nesta saudável vontade insana de viver. Preciso de alguém que eu possa estender a mão devagar sobre a mesa para tocar a mão quente do outro lado e sentir uma resposta como – eu estou aqui, eu te toco também. Sou o bicho humano que habita a concha ao lado da conha que você habita, e da qual te salvo, meu amor, apenas porque te estendo a minha mão. No meio da fome, do comício, da crise, no meio do vírus, da noite e do deserto – preciso de alguém para dividir comigo esta sede. Para olhar seus olhos que não adivinho castanhos nem verdes nem azuis e dizer assim: que longa e áspera sede, meu amor. Que vontade, que vontade enorme de dizer outra vez meu amor, depois de tanto tempo e tanto medo. Que vontade escapista e burra de encontrar noutro olhar que não o meu próprio – tão cansado, tão causado – qualquer coisa vasta e abstrata quanto, digamos assim, um Caminho.
Esse, simples mas proibido agora: o de tocar no outro. Querer um futuro só porque você estará lá, meu amor. O caminho de encontrar num outro humano o mais humilde de nós. Então direi da boca luminosa de ilusão: te amo tanto. E te beijarei fundo molhado, em puro engano de instantes enganosos transitórios – que importa? (Mas finjo de adulto, digo coisas falsamente sábias, faço caras sérias, responsáveis. Engano, mistifico.
Disfarço esta sede de ti, meu amor que nunca veio – viria? virá? – e minto não, já não preciso.) Preciso sim, preciso tanto. Alguém que aceite tanto meus sonos demorados quanto minhas insônias insuportáveis. Tanto meu ciclo ascético Francisco de Assis quanto meu ciclo etílico bukovskiano. Que me desperte com um beijo, abra a janela para o sol ou a penumbra. Tanto faz, e sem dizer nada me diga o tempo inteiro alguma coisa como eu sou o outro ser conjunto ao teu, mas não sou tu, e quero adoçar tua vida. Preciso do teu beijo de mel na minha boca de areia seca, preciso da tua mão de seda no couro da minha mão crispada de solidão. Preciso dessa emoção que os antigos chamavam de amor, quando sexo não era morte e as pessoas não tinham medo disso que fazia a gente dissolver o próprio ego no ego do outro e misturar coxas e espíritos no fundo do outro-você, outro-espelho, outro-igual-sedento-de-não-solidão, bicho-carente, tigre e lótus. Preciso de você que eu tanto amo e nunca encontrei. Para continuar vivendo, preciso da parte de mim que não está em mim, mas guardada em você que eu não conheço.Tenho urgência de ti, meu amor. Para me salvar da lama movediça de mim mesmo. Para me tocar, para me tocar e no toque me salvar. Preciso ter certeza que inventar nosso encontro sempre foi pura intuição, não mera loucura. Ah, imenso amor desconhecido.
Para não morrer de sede, preciso de você agora, antes destas palavras todas cairem no abismo dos jornais não lidos ou jogados sem piedade no lixo. Do sonho, do engano, da possível treva e também da luz, do jogo, do embuste: preciso de você para dizer eu te amo outra e outra vez. Como se fosse possível, como se fosse verdade, como se fosse ontem e amanhã."

Texto chama-se ¨Ao Som de Suzane Vega¨ e foi publicado originalmente no jornal
O Estado de S. Paulo, Caderno 2, em 29/07/87.

domingo, 2 de agosto de 2009


"Porque quando fecho os olhos, é você quem eu vejo;aos lados, em cima, embaixo, por fora e por dentro de mim.Dilacerando felicidades de mentira,desconstruindo tudo o que planejei, abrindo todas as janelas para um mundo deserto.É você quem sorri, morde o lábio, fala grosso, conta histórias,me tira do sério, faz ares de palhaço, pinta segredos,ilumina o corredor por onde passo todos os dias.
É agora que quero dividir maças, achar o fim do arco-íris,pisar sobre estrelas e acordar serena.É para já que preciso contar as descobertas, alisar seu peito,preparar uma massa, sentir seus cílios.
“Claro, o dia de amanhã cuidará do dia de amanhã e tudo chegará no tempo exato. Mas e o dia de hoje?” Não quero saber de medo, paciência, tempo que vai chegar.
Não negue, apareça. Seja forte.Porque é preciso coragem para se arriscar num futuro incerto.
Não posso esperar. Tenho tudo pronto dentro de mim e uma almaque só sabe viver presentes.Sem esperas, sem amarras, sem receios,sem cobertas, sem sentido, sem passados.
É preciso que você venha nesse exato momento.Abandone os antes.Chame do que quiser. Mas venha.
Quero dividir meus erros, loucuras, beijos, chocolates...Apague minhas interrogações.Por que estamos tão perto e tão longe?
Quero acabar com as leis da física,dois corpos ocuparem o mesmo lugar! Não nego. Tenho um grande medo de ser sozinha.
Não sou pedaço. Mas não me basto."

[Caio F.]

segunda-feira, 27 de julho de 2009

First Day of My Life ....

"(...) As vezes não sei quem devo ser ....."

Sobra tanta falta ...


"Falta tanta coisa na minha janela como uma praia

Falta tanta coisa na memória como o rosto dela

Falta tanto tempo no relógio quanto uma semana

Sobra tanta falta de paciência que me desespero

Sobram tantas meias verdades que guardo pra mim mesmo

Sobram tantos medos que nem me protejo mais

Sobra tanto espaço dentro do abraço

Falta tanta coisa pra dizer que nunca consigo


Sei lá se o que me deu foi dado

Sei lá se o que me deu já é meu

Sei lá se o que me deu foi dado ou se é seu


Vai saber se o que me deu quem sabe

Vai saber quem souber me salve

Vai saber o que me deu quem sabe

Vai saber quem souber me salve "


( O teatro Mágico )

domingo, 26 de julho de 2009



Quando fazemos tudo para que nos amem e não conseguimos, resta-nos um último recurso:
não fazer mais nada. Por isso, digo, quando não obtivermos o amor, o afeto ou a ternura que havíamos solicitado, melhor será desistirmos e procurar mais adiante os sentimentos que nos negaram. Não fazer esforços inúteis, pois o amor nasce, ou não, espontaneamente, mas nunca por força de imposição. Às vezes, é inútil esforçar-se demais, nada se consegue; outras vezes, nada damos e o amor se rende aos nossos pés.
Os sentimentos são sempre uma surpresa. Nunca foram uma caridade mendigada, uma compaixão ou um favor concedido. Quase sempre amamos a quem nos ama mal, e desprezamos quem melhor nos quer. Assim, repito, quando tivermos feito tudo para conseguir um amor, e falhado, resta-nos um só caminho...

o de mais nada fazer.

( Clarice Lispector )

sexta-feira, 24 de julho de 2009



" Não se preocupe, não vou tomar nenhuma medida drástica, a não ser continuar, tem coisa mais auto destrutiva do que insistir sem fé nenhuma?
Ah, passa devagar a tua mão na minha cabeça, toca meu coração com teus dedos frios, eu tive tanto amor um dia..."

( Caio Fernando Abreu )

segunda-feira, 20 de julho de 2009

Dia do Amigo ...



Difícil querer definir amigo.

Amigo é quem te dá um pedacinho do chão, quando é de terra firme que você precisa, ou um pedacinho do céu, se é o sonho que te faz falta.

Amigo é mais que ombro amigo, é mão estendida, mente aberta, coração pulsante, costas largas. É quem tentou e fez, e não tem o egoísmo de não querer compartilhar o que aprendeu. É aquele que cede e não espera retorno, porque sabe que o ato de compartilhar um instante qualquer contigo já o alimenta, satisfaz. É quem já sentiu ou um dia vai sentir o mesmo que você. É a compreensão para o seu cansaço e a insatisfação para a sua reticência.

É aquele que entende seu desejo de voar, de sumir devagar, a angústia
pela compreensão dos acontecimentos, a sede pelo "por vir". É ao mesmo tempo espelho que te reflete, e óleo derramado sobre suas águas agitadas. É quem fica enfurecido por enxergar seu erro, querer tanto o seu bem e saber que a perfeição é utopia. É o sol que seca suas lágrimas, é a polpa que adocica ainda mais seu sorriso.

Amigo é aquele que toca na sua ferida numa mesa de chopp, acompanha suas vitórias, faz piada amenizando problemas. É quem tem medo, dor, náusea, cólica gozo, igualzinho a você. É quem sabe que viver é ter história pra contar. É quem sorri pra você sem motivo aparente, é quem sofre com seu sofrimento, é o padrinho filosófico dos seus filhos. É o achar daquilo que você nem sabia que buscava.

Amigo é aquele que te lê em cartas esperadas ou não, pequenos bilhetes em sala de aula, mensagens eletrônicas emocionadas. É aquele que te ouve ao telefone mesmo quando a ligação é caótica, com o mesmo prazer e atenção que teria se tivesse olhando em seus olhos.

Amigo é multimídia. Olhos....

Amigo é quem fala e ouve com o olhar, o seu e o dele em sintonia telepática. É aquele que percebe em seus olhos seus desejos, seus disfarces, alegria, medo. É aquele que aguarda pacientemente e se entusiasma quando vê surgir aquele tão esperado brilho no seu olhar, e é quem tem uma palavra sob medida quando estes mesmos olhos estão amplificando tristeza interior. é lua nova, é a estrela mais brilhante, é luz que se renova a cada instante com múltiplas e inesperadas cores que cabem todas na sua íris.



Amigo é aquele que te diz "eu te amo" sem qualquer medo de má interpretação:
Amigo é quem te ama "e ponto".
É verdade e razão, sonho e sentimento.


Amigo é pra sempre, mesmo que o sempre não exista.

(desconheço autoria )

sexta-feira, 17 de julho de 2009

Nada passa ...



"...Tudo passa? Nada passa!
É isso que ninguém tem coragem de nos dizer.
A dor da perda, a dor de fracassar, a dor de não corresponder a uma expectativa, a dor de uma saudade, a dor de não saber como agir, de estar perdida, instável, de ter dúvidas na hora de fazer uma escolha, todas estas dores, que parecem pequenas para quem está de fora, nos acompanharão até o fim dos nossos dias.

Elas não passam. Elas ficam.
Elas aninham-se dentro da gente, o que não deve servir de motivo para pularmos de uma ponte.

Mario Quintana escreveu que nós somos o que temos e o que sofremos. Sem dor, sem vida interior.

Não passam as dores, também não passam as alegrias.
Tudo o que nos fez feliz ou infeliz serve para montar o quebra-cabeça da nossa ida, um quebra-cabeça de cem mil peças.

Aquela noite que você não conseguiu parar de chorar, aquele dia que você ficou caminhando sem saber para onde ir, aquele beijo cinematográfico que você recebeu, aquela visita surpresa que ela lhe fez, o parto do seu filho, a bronca do seu pai, a demissão injusta, o acidente que lhe deixou cicatrizes, tudo isso vai, aos pouquinhos, formando quem você é.

Não há nenhuma peça que não se encaixe. Todas são aproveitáveis.
Como são muitas, você pode esquecer de algumas, e a isso chamamos de “passou”.

Não passou.

Está lá dentro, meio perdida, mas quando você menos esperar, ela será necessária para você completar o jogo e se enxergar por inteiro."

( Martha Medeiros )

quinta-feira, 16 de julho de 2009


.
"Lembra daquelas paredes que construí
Bem elas estão desmoronando (...)
É como se eu estivesse despertando
Todas as regras que eu tinha você está quebrando(...)"

quarta-feira, 15 de julho de 2009



"Só agora eu sinto que a minhas asas eram maiores que as dele, e que ele se contentava com o ares baixos: eu queria grandes espaço, amplitudes azuis onde meus olhos pudessem se perder e meu corpo pudesse se espojar sem medo nenhum.
Queria e quero — ainda :Voar junto com alguém, não sozinho.
Mas todos me parecem tão fracos, tão assustados e incapazes de ir muito longe.

Talvez eu me engane, e minhas asas sejam bem mais frágeis que meu ímpeto.
Mas se forem como imagino, talvez esteja fadado à solidão"

[Caio F.Abreu]

terça-feira, 14 de julho de 2009

Passos para o perdão...

" Quando focalizamos nossa atenção em quem nos feriu,
ficamos sem condições de perceber quem nos ama ".

- Saiba exatamente como você se sente sobre o que aconteceu. Aprenda a articular sobre o que não está bem na situação. Então, conte para duas pessoas confiáveis a sua experiência.

- Comprometa-se consigo mesmo a fazer o que for possível para se sentir melhor. Perdão é para você e ninguém mais.

- Perdão não significa reconciliação com a pessoa que o aborreceu ou uma compensação. O que você busca é a paz. O perdão pode ser definido como a "paz e a compreensão que vem de culpar menos aquilo que o machucou, tomar a experiência de vida de forma menos pessoal e mudar seu histórico de sofrimento, desgosto e injustiça".

- Escolha a melhor perspectiva sobre o que lhe acontece. Reconheça que sua principal agonia vem de sentimentos, pensamentos e preocupações que o afligem agora, e não daquilo que o ofendeu ou feriu há dois minutos ou dez anos.

- No momento em que se sentir preocupado pratique uma técnica simples de gerenciamento de estresse para acalmar o vôo do pensamento ou a resposta do corpo.

- Desista de esperar atitudes das outras pessoas, se eles não escolheram realizá-las. Reconheça quando você impõe as regras de como você e outras pessoas devem se comportar, mesmo que esses procedimentos não correspondam à realidade imaginada pelos outros. Lembre-se que você pode esperar de si mesmo saúde, amor, amizade e prosperidade e trabalhar duro para consegui-las.

- Gaste sua energia em procurar outra forma de chegar a seus objetivos, que vá além da experiência que o feriu. Em vez de reprisar mentalmente suas feridas, procure outras maneiras de chegar onde você quer.

- Lembre-se que uma vida bem vivida é a melhor vingança. Em vez de focar em seus sentimentos machucados e atribuir um grande poder à pessoa que causou essa dor, aprenda a olhar para o amor, a beleza, a gentileza ao seu redor.

-Mude o mote da sua história de rancor para heroísmo ao se lembrar da sua escolha por perdoar
e seguir adiante com uma vida plena.

( Frederic Lusckin )

segunda-feira, 13 de julho de 2009

Deus nos livre ...




Deus nos livre da doença, da miséria, do escapamento radioativo e das pessoas que cutucam e dizem "Hein? Hein?".
Deus nos livre do pós-modernismo e da fome.
Deus nos livre de todos os "ismo".
Em especial do botulismo.
Deus nos livre da censura.
E da morte prematura.
Deus nos livre da multidão.
Deus nos livre da solidão.
E Deus nos livre, peremptoriamente, de jamais usar a palavra "peremptoriamente".
Deus nos livre do lirismo e da coriza nasal.
Deus nos livre da paixão desenfreada e da grama artificial.
Deus nos livre da volta dos festivais da canção.
E do nosso coração.
Deus nos livre dos bêbados que confidenciam.
Deus nos livre das mulheres que miam.
Deus nos livre de um dia acordar de ressaca, sair da cama e descobrir que estamos no palco do Teatro Municipal lotado.
Deus nos livre do requerimento em três vias, do protocolo, das fotografias 3x4, da ficha de chamada, da espera na fila e de descobrir que não é aqui, é no outro guichê.
Deus nos livre do outro guichê.
Deus nos livre da autoridade competente, que com a incopetente ainda há diálogo.
Deus nos livre da burrice dos outro, que a nossa até que é simpática.
Deus nos livre da terceira idade.
E da falsa humildade.
Deus nos livre da ira, da soberba, da gula, da luxúria, da avareza, da inveja, da preguiça e dessa mania de limpar o ouvido com uma tampa de caneta Bic.
Deus nos livre da dissolução dos costumes.
E da terrível faca de dois gumes.
Deus nos livre dos que querem o nosso mal.
Deus nos livre dos que só querem o nosso bem.
Deus nos livre dos que querem o nosso.
Deus nos livre do despertador, da seborréia, das pessoas que nunca piscam e das que citam Fukuyama.
Deus nos livre do mar de lama.
Deus nos livre da tragédia.
E a alta classe média.
Deus nos livre dos futurólogos.
Deus nos livre do futuro!
Deus nos livre do libelo.
E de todos os Collor de Mello.
Deus nos livre da superstição.
E de tanta assombração.
Deus nos livre de colidir com um meteoro e dos que pedem que Deus nos livre.
Deus nos livre das bravatas.
Deus nos livre dos gravatas.
E, meu Deus, dos plutocratas.

(LUÍZ FERNANDO VERÍSSIMO)


E que Deus nos livre do mau humor,e de gente mal humorada..rs
E que nos livre acima de tudo da desesperança!amem !
Beijos à todos ...

quinta-feira, 9 de julho de 2009


"Difícil é se descrever, fazer com que palavras definam quem você é, ou deixa de ser. Não acredito que eu seja ninguém de tão grande importância.
Presumo que eu seja como qualquer um, com certos defeitos, porém acompanhada de qualidades. Posso ser constante, inconstante, ou até mesmo os dois ao mesmo tempo. Em grande parte do tempo, sou previsível, admito. Mas o imprevisível me acompanha de perto, quando necessário.
Consigo ser o bem e mau, o certo e o errado, a tristeza e a felicidade.
Eu posso ser tudo, ou simplesmente nada.
Talvez eu seja isso:

uma porção de coisas..."

(Deborah Strougo)

quarta-feira, 8 de julho de 2009


"Quero ser eu mesmo.
Será difícil? Com tudo de mau que isso possa trazer.
Mesmo não sendo mau, fácil não será, mas estou disposto a correr o risco.
É preciso agora concretizar a idéia: tirá-la dos limites do pensamento, arrancá-la apenas do papel e torná-la um pedaço de mim, decisão cravada no corpo.
Não sei como fazer, por onde começar, mas sei que o farei.
Hoje, amanhã ou depois...
De uma vez só ou pouco a pouco, eu o farei".

[Caio F.]

terça-feira, 7 de julho de 2009

Cazuza !!!!


Vi na imprensa que dia 07 de julho é aniversario de morte de Cazuza (19 anos)....
Como o tempo passa rápido,diga-se de passagem..rs, Acho Cazuza um poeta maravilhoso, sensivel,e junto com Frejat, fez uma parceria de composição das melhores do rock nacional na minha opinião, Musicas que conseguem ser sempre atuais, sempre nos fazendo "viajar" em suas letras e melodias !!
Quando pensei em fazer essa postagem aqui, fiquei pensando qual musica iria escolher, Gosto de várias,cada uma me diz alguma coisa, e SEMPRE falam algo por mim!
Então,escolhi essa porque ela diz tudo que quero e preciso hoje em dia!!..rs

Amor Meu Grande Amor


Amor,meu grande amor
Não chegue na hora marcada
Assim como as canções como as paixões
E as palavras
Me veja nos seus olhos
Na minha cara lavada
Me venha sem saber
Se sou fogo ou se sou agua

Amor,meu grande amor
Me chegue assim bem de repente
Sem nome ou sobrenome
Sem sentir o que não sente

(Refrão)
Que tudo que ofereço
É meu calor,meu endereço
A vida do teu filho
Desde o fim até o começo

Amor,meu grande amor
Só dure o tempo que mereça
E quando me quiser
Que seja de qualquer maneira
Enquanto me tiver
Que eu seja a ultima e a primeira
E quando eu te encontrar,meu grande amor
Me reconheça

(Refrão)

Amor,meu grande amor
Que eu seja a ultima e a primeira
E quando eu te encontrar,meu grande amor
Por favor,me reconheça

domingo, 5 de julho de 2009



.
Adoro Marisa, adoro Roberto Carlos (Sim,EU adoro Roberto...rs)
então nada melhor que juntos os dois aqui !

Beeeeijos à todos!

obrigada pelos elogios pessoal, fico muito feliz com a visita de vocês por aqui!

sábado, 4 de julho de 2009

Canção das Mulheres ...




Que o outro saiba quando estou com medo, e me tome nos braços sem fazer perguntas demais.

Que o outro note quando preciso de silêncio e não vá embora batendo a porta, mas entenda que não o amarei menos porque estou quieta.

Que o outro aceite que me preocupo com ele e não se irrite com minha solicitude, e se ela for excessiva saiba me dizer isso com delicadeza ou bom humor.

Que o outro perceba minha fragilidade e não ria de mim, nem se aproveite disso.

Que se eu faço uma bobagem o outro goste um pouco mais de mim, porque também preciso poder fazer tolices tantas vezes.

Que se estou apenas cansada o outro não pense logo que estou nervosa, ou doente, ou agressiva, nem diga que reclamo demais.

Que o outro sinta quanto me dóia idéia da perda, e ouse ficar comigo um pouco - em lugar de voltar logo à sua vida.

Que se estou numa fase ruim o outro seja meu cúmplice, mas sem fazer alarde nem dizendo ''Olha que estou tendo muita paciência com você!''

Que quando sem querer eu digo uma coisa bem inadequada diante de mais pessoas, o outro não me exponha nem me ridicularize.

Que se eventualmente perco a paciência, perco a graça e perco a compostura, o outro ainda assim me ache linda e me admire.

Que o outro não me considere sempre disponível, sempre necessariamente compreensiva, mas me aceite quando não estou podendo ser nada disso.

Que, finalmente, o outro entenda que mesmo se às vezes me esforço, não sou, nem devo ser, a mulher-maravilha, mas apenas uma pessoa: vulnerável e forte, incapaz e gloriosa, assustada e audaciosa - uma mulher.

Lya Luft

Ausência


Por muito tempo achei que a ausência é falta.

E lastimava, ignorante, a falta.

Hoje não a lastimo.Não há falta na ausência.

A ausência é um estar em mim.

E sinto-a, branca, tão pegada, aconchegada nos meus braços,que rio e danço e invento exclamações alegres...

porque a ausência assimilada,ninguém a rouba mais de mim.


sexta-feira, 3 de julho de 2009

O amor que a vida traz ...

"Você gostaria de ter um amor que fosse estável, divertido e fácil. O objeto desse amor nem precisaria ser muito bonito, nem rico. Uma pessoa bacana, que te adorasse e fosse parceira já estaria mais do que bom. Você quer um amor assim. É pedir muito? Ora, você está sendo até modesto.O problema é que todos imaginam um amor a seu modo, um amor cheio de pré-requisitos. Ao analisar o currículo do candidato, alguns itens de fábrica não podem faltar. O seu amor tem que gostar um pouco de cinema, nem que seja pra assistir em casa, no DVD.
E seria bom que gostasse dos seus amigos. E precisa ter um objetivo na vida. Bom humor, sim, bom humor não pode faltar. Não é querer demais, é? Ninguém está pedindo um piloto de Fórmula 1 ou uma capa da Playboy. Basta um amor desses fabricados em série, não pode ser tão impossível.
Aí a vida bate à sua porta e entrega um amor que não tem nada a ver com o que você queria. Será que se enganou de endereço? Não. Está tudo certinho, confira o protocolo.
Esse é o amor que lhe cabe. É seu. Se não gostar, pode colocar no lixo, pode passar adiante, faça o que quiser. A entrega está feita, assine aqui, adeus.E agora está você aí, com esse amor que não estava nos planos. Um amor que não é a sua cara, que não lembra em nada um amor idealizado. E, por isso mesmo, um amor que deixa você em pânico e em êxtase.
Tudo diferente do que você um dia supôs, um amor que te perturba e te exige, que não aceita as regras que você estipulou. Um amor que a cada manhã faz você pensar que de hoje não passa, mas a noite chega e esse amor perdura, um amor movido por discussões que você não esperava enfrentar e por beijos para os quais nem imaginava ter tanto fôlego.
Um amor errado como aqueles que dizem que devemos aproveitar enquanto não encontramos o certo, e o certo era aquele outro que você havia solicitado, mas a vida, que é péssima em atender pedidos, lhe trouxe esse e conforme-se, saboreie esse presente, esse suspense, esse nonsense, esse amor que você desconfia que não lhe pertence.
Aquele amor em formato de coração, amor com licor, amor de caixinha, não apareceu. Olhe pra você vivendo esse amor a granel, esse amor escarcéu, não era bem isso que você desejava, mas é o amor que lhe foi destinado, o amor que começou por telefone, o amor que começou pela internet, que esbarrou em você no elevador, o amor que era pra não vingar e virou compromisso, olha você tendo que explicar o que não se explica, você nunca havia se dado conta de que amor não se pede, não se especifica, não se experimenta em loja – ah, este me serviu direitinho!
Aquele amor corretinho por você tão sonhado vai parar na porta de alguém que despreza amores corretos, repare em como a vida é astuciosa. Assim são as entregas de amor, todas como se viessem num caminhão da sorte, uma promoção de domingo, um prêmio buzinando lá fora, mesmo você nunca tendo apostado.
Aquele amor que você encomendou não veio, parabéns! Agradeça e aproveite o que lhe foi entregue por sorteio."

( Martha Medeiros )

quinta-feira, 2 de julho de 2009



Estou me confundindo, estou me dispersando.”

“Não sei dizer. Quando penso desse jeito, enumero proposições como: a ser uma pessoa menos banal, a ser mais forte, mais seguro, mais sereno, mais feliz, a navegar com um mínimo de dor. Essas coisas todas que decidimos fazer ou nos tornar quando algo que supúnhamos grande acaba, e não há nada a ser feito a não ser continuar vivendo. Então, que seja doce. Repito todas as manhãs, ao abrir as janelas para deixar entrar o sol ou o cinza dos dias, bem assim: que seja doce.”

“Mas, se alguém me perguntasse o que deverá ser doce, talvez não saiba responder. Tudo é tão vago como se fosse nada. Ninguém perguntará coisa alguma, penso.”

“Dói, um pouco. Não mais uma ferida recente, apenas um pequeno espinho de rosa, coisa assim, que você tenta arrancar da palma da mão com a ponta de uma agulha. Mas, se você não consegue extirpá-lo, o pequeno espinho pode deixar de ser uma pequena dor para transformar-se numa grande chaga. Assim, agora, estou aqui. Ponta fina de agulha equilibrada entre os dedos da mão direita, pairando sobre a palma aberta da mão esquerda.”

[ Os dragões não conhecem o paraíso ]
Caio Fernando Abreu

terça-feira, 30 de junho de 2009

Questão de escolha ...

UMA QUESTÃO DE ESCOLHA.

O coração anda no compasso que pode.
Amores não sabem esperar o dia amanhecer.
O exemplo é simples.
O filho que chora tem a certeza de que a mãe velará seu sono.
A vida é pequena, mas tão grande nestes espaços que aos cuidados pertencem.
Joelhos esfolados são representações das dores do mundo.
A mãe sabe disso. O filho, não.
Aprenderá mais tarde, quando pela força do tempo que nos leva, ele precisará cuidar dos joelhos dos seus pequenos.
O ciclo da história nos direciona para que não nos percamos das funções.
São as regras da vida. E o melhor é obedecê-las.
Tenho pensado muito no valor dos pequenos gestos e suas repercussões.
Não há mágica que possa nos salvar do absurdo.
O jeito é descobrir esta migalha de vida que sob as realidades insiste em permanecer.
São exercícios simples...
Retire a poeira de um móvel e o mundo ficará mais limpo por causa de você.
É sensato pensar assim. Destrua o poder de uma calúnia, vedando a boca que tem ânsia de dizer o que a cabeça ainda não sabe, e alguém deixará de sofrer por causa de seu silêncio.
Nestas estradas de tantos rostos desconhecidos é sempre bom que deixemos um espaço reservado para a calma.
Preconceitos são filhos de nossos olhares apressados.
O melhor é ir devagar.
Que cada um cuide do que vê.
Que cada um cuide do que diz.
A razão é simples: o Reino de Deus pode começar ou terminar, na palavra que escolhemos dizer.
É simples...

Padre Fábio de Melo

sábado, 27 de junho de 2009

Só ponto de vista .....


"Parece uma parábola, mas acontece todo dia: a gente só tem olhos para o que mostra a nossa janela, nunca a janela do outro. O que a gente vê é o que vale, não importa que alguém bem perto esteja vendo algo diferente.A mesma estrada, para uns, é infinita, e para outros, curta. Para uns, o pedágio sai caro; para outros, não pesa no bolso. Boa parte dos brasileiros acredita que o país está melhorando, enquanto que a outra perdeu totalmente a esperança.
Alguns celebram a tecnologia como um fator evolutivo da sociedade, outros lamentam que as relações humanas estejam tão frias. Uns enxergam nossa cultura estagnada, outros aplaudem a crescente diversidade.

Cada um gruda o nariz na sua janela, na sua própria paisagem.Eu costumo dar uma espiada no ângulo de visão do vizinho. Me deixa menos enclausurada nos meus próprios pontos de vista, mas, em contrapartida, me tira a certeza de tudo. Dependendo de onde se esteja posicionado, a razão pode estar do nosso lado, mas a perderemos assim que trocarmos de lugar. Só possuindo uma visão de 360 graus para nos declararmos sábios.
E a sabedoria recomenda que falemos menos, que batamos menos o martelo e que sejamos menos enfáticos, pois todos estão certos e todos estão errados em algum aspecto da análise.

É o triunfo da dúvida."

Martha Medeiros [pág 161-Doidas e Santas]


*Perfeito esse texto...
não sobra muito o que falar, na verdade ...
mas arriscaria dizer:
Será o que o nome disso tudo aí não seria: MATURIDADE ??

quarta-feira, 24 de junho de 2009

Momento Caio F.

Sou uma apaixonada por literatura !:)
Leio tudo que vejo,de todos os autores que encontro,dos ditos mais famosos, até os blogs de anônimos que encontro por aí ...rs, e tenho que dizer que tenho inveja de duas coisas: Uma é de quem toca violão,acho lindo,nunca aprendi,mas sei que se me esforçar posso conseguir um pouquinho ...A outra "invejinha" é de quem tem uma facilidade enorme com as palavras, quem consegue,de uma certa forma,tocar nossos corações e nos fazer pernsar: "- Era isso mesmo que eu queria dizer! "
E sei que pra isso precisa de um negocio que nem todos tem: dom. Dom de transformar avalanches de sentimentos, em palavras claras e diretas!(por isso,raramente vocês verão palavras só minhas por aqui nesse blog ...rs)
Estou numa "fase" Caio Fernando Abreu, ou Caio F., como preferirem, acabo de ler o Biografia dele e É verdade que melhor do que ler sobre um escritor é ler a sua obra. Mas não se pode ignorar o fato de que, às vezes, uma boa biografia, um bom perfil ou até mesmo uma boa resenha faz despertar em alguém o interesse de ler determinado autor...
Ando me identificando com Caio em especial,acho que por causa de um momento que venho vivendo,um toque na minha alma,no meu coração,que jamais pensei em viver parecido...Uma dor e uma saudade de algo que não vivi,um sentimento que não consigo nomear... Assim como Caio, um enfrentamento, a busca de uma identidade, a vivência de experiências como busca de um significado maior na vida. o temperamento dele, muitas vezes intempestivo ― Caio não poupava sequer os amigos ― e por vezes introspectivo em excesso ― ele às vezes passava dois, três dias incomunicável,trancado no quarto ―, talvez fosse reflexo de sua alma atormentada...
No livro que acabo de ler," LIMITE BRANCO " há um trecho que define exatamente,o que penso agora:"Eu gostaria de ir embora para uma cidade qualquer, bem longe daqui, onde ninguém me conhecesse, onde não me tratassem com consideração apenas por eu ser 'o filho de fulano' ou 'o neto de beltrano'. Onde eu pudesse experimentar por mim mesmo as minhas asas para descobrir, enfim, se elas são realmente fortes como imagino. E se não forem, mesmo que quebrassem no primeiro vôo, mesmo que após um certo tempo eu voltasse derrotado, ferido, humilhado ― mesmo assim restaria o consolo de ter descoberto que valho o que sou".

Caio F.,não é só você que tem todas as dúvidas do mundo não,também faço parte desses que gostariam muito de não estar sendo traídos pelas suas intuições,pelos seus sentimentos,queria muito acreditar em tudo que venho vivendo, que os mistérios que ando me cercando, não me façam desacreditar no "final Feliz" ....

Beijos! :)


"Chegue bem perto de mim. Me olhe, me toque, me diga qualquer coisa. Ou não diga nada, mas chegue mais perto.
Não seja idiota, não deixe isso se perder, virar poeira, virar nada. Daqui há pouco você vai crescer e achar tudo isso ridículo.
Antes que tudo se perca, enquanto ainda posso dizer sim...
por favor, chegue mais perto."

[Caio Fernando Abreu]

"Chega em mim sem medo, toca meu ombro, olha nos meus olhos, como nas canções do rádio. Depois me diz: "-Vamos embora para um lugar limpo. Deixe tudo como esta. Feche as portas, não pague as contas e nem conte a ninguém. Nada mais importa. Agora você me tem, agora eu tenho você. Nada mais importa. O resto? Ah, os restos são restos. E não importam. Mas seus livros, seus discos, quero perguntar, seus versos de rima rica? Mas meus livros, meus discos, meus versos de rima pobre? Não importa, não importa. Largo tudo. Venha comigo pra qualquer outro lugar."


- Anotações Sobre um Amor Urbano. [Caio Fenando Abreu]

terça-feira, 23 de junho de 2009

Ser ou não ser ??? ( de alguém ...)

"SER DE NINGUÉM...

Na hora de cantar todo mundo enche o peito nas boates, nos bares,
levanta os braços, sorri e dispara: "eu sou de ninguém, eu sou de todo mundo
e todo mundo é meu também".

No entanto, passado o efeito do uísque com energético e dos beijos
descompromissados, os adeptos da geração "tribalista" se dirigem aos
consultórios terapêuticos, ou alugam os ouvidos do amigo mais próximo e reclamam de solidão, ausência de interesse das pessoas, descaso e rejeição. A maioria não quer ser de ninguém, mas quer que alguém seja seu.

Não dá, infelizmente, para ficar somente com a cereja do bolo -
beijar de língua, namorar e não ser de ninguém. Para comer a cereja é
preciso comer o bolo todo e nele, os ingredientes vão além do
descompromisso, como: não receber o famoso telefonema no dia seguinte,
não saber se está namorando mesmo depois de sair um mês com a mesma pessoa,
não se importar se o outro estiver beijando outra, etc, etc, etc.

Desconhece a delícia de assistir a um filme debaixo das cobertas num
dia chuvoso comendo pipoca com chocolate quente, o prazer de dormir junto
abraçado, roçando os pés sob as cobertas e a troca de cumplicidade,
carinho e amor.


Namorar é algo que vai muito além das cobranças. É cuidar do outro e
ser cuidado por ele, é telefonar só para dizer bom dia, ter uma boa
companhia para ir ao cinema de mãos dadas, transar por amor, ter alguém para
fazer e receber cafuné, um colo para chorar, uma mão para enxugar lágrimas,
enfim, é ter "alguém para amar".. Somos livres para optarmos! E ser livre não é
beijar na boca e não ser de ninguém. É ter coragem, ser autêntico e se
permitir viver um sentimento... É arriscar, pagar para ver e correr atrás da felicidade. É doar e receber, é estar disponível de alma, para que as surpresas da vida possam aparecer. É compartilhar momentos de alegria e buscar tirar proveito até mesmo das coisas ruins.

Ser de todo mundo, não ser de ninguém é o mesmo que não ter ninguém também… É não ser livre para trocar e crescer… É estar fadado ao fracasso emocional e à tão temida solidão."

( trechos da crônica de Mônica Montone )


Pois é!. Eis a questão !..rs
Eu não sou e não tenho vontade de ser "tribalista" nem por um momento..rs
Tenho que confessar minha eterna condição de romantica, de "mulherzinha" mesmo, de cuidar, de amar,de preocupar,de agradar...enfim,de ter alguém pra chamar de meu(MAS SÓ MEU MESMO..rs).Quando um dos dois,se quer,cogita a possibilidade de uma relação "tribalista" é porque o sentimento nem passou perto de você,e aí nesse caso, quando a gente fica só com a nossa companhia mesmo,com certeza estaremos melhor!
Já dizia o poeta Carlos Drummond de Andrade que “amar se aprende amando”, mas é preciso querer,é preciso disponibilidade para o outro,quando as pessoas aprendem o que é CUMPLICIDADE,e como ela só nos faz bem, vão entender exatamente o que quero dizer aqui ...;)

Beeeeeeeeijos !

segunda-feira, 22 de junho de 2009

Frases de Cinema !


Me deu uma vontade louca de comer pipoca agora ! :P
mas não tem aqui em casa..rs, E pipoca me lembra SEMPRE cinema, e me lembrei também de quanto tempo não vou assistir a um fime na telona !...Nossa,não me lembro gente, faz muuuuito mesmo! Por preguiça, por impaciência, confesso..rs, por falta de companhia, (mas isso é o de menos né?! ..rs ) Enfim...vou ver qual filme está em cartaz por aqui e Vou ao cinema essa semana!:)
Me lembrei de várias frases lindas, ditas em filmes maravilhosos, e que as vezes nos passam despercebidas, mas que sempre querem nos dizer muito !

"Você não entende nada de amor porque nunca soube o que é ceder .
(Closer - Perto Demais)

Há dores impossíveis de ignorar.
(Instinto Selvagem 2)

Se você não quer ouvir a verdade ninguém pode dizê-la a você.
(Paixão de Cristo)

A vitória pertence aquele que acredita nela, e aquele que acredita nela por mais tempo.
(Pearl Harbor)

Eu não sei o que quero ser, mas sei o que eu não quero me tornar.
(Olga)

Você não sabe o que é amor, porque não entende o que é compromisso.
(Closer)

Todo o poder do mundo não pode mudar o destino.
(O Poderoso Chefão)

Faria alguma diferença se eu dissesse... Que ninguém poderia amar alguém tanto quanto eu amo você?
(Efeito borboleta)


Eu nunca mais verei um pôr-do-sol sem lembrar de você
(Pearl Harbol)


Eu não vou dizer que não consigo viver sem você, porque eu consigo. Só não quero!
(Dizem por Aí)

Vim aqui porque quando se percebe que se quer passar o resto da vida com alguém, você quer que o resto da vida comece logo"
(Feitos um para o outro)

Minha favorita :

"talvez o amor verdadeiro seja uma decisão.
decisão de correr um risco com alguém. dar-se, sem se preocupar se vão dar algo em troca ou magoar você ou se é a pessoa certa.
talvez o amor não seja algo que aconteça, talvez seja uma escolha."

( trecho de uma cena do filme : Amor e outros desastres )


Beijos à todos!
Tenham uma boa semana !:)

domingo, 21 de junho de 2009

O que está acontecendo ??

"O que está acontecendo?
O mundo está ao contrário e ninguém reparou
O que está acontecendo?
Eu estava em paz quando você chegou (...)

Você invade mais um lugar
Onde eu não vou
O que você está fazendo?
Milhões de vasos sem nenhuma flor
O que você está fazendo?
Um relicário imenso desse amor(...)

Que eu trocaria a eternidade por esta noite
Por que está amanhecendo?
Peço o contrário, ver o sol se pôr
Por que está amanhecendo?
Se eu não vou beijar seus lábios quando você se for

Quem nesse mundo faz o que há durar
Dura a semente dura o futuro amor
Eu sou a chuva pra você secar
Pelo zunido das suas asas você me falou
O que você está dizendo?
Milhões de frases sem nenhuma cor
O que você está dizendo?
Um relicário imenso desse amor

O que você está dizendo?
O que você está fazendo?
Por que que está fazendo assim? "

Uma dúvida Ambulante I


Eu sou mesmo assim...Um emaranhado de incógnitas que não suporta se curvar ao domínio das dúvidas, das obrigações, do tem que ser, do deve ser! Não são essas certezas infundadas que me dão tesão em descobrir quem sou eu de verdade...
E como sei que sou um vulcão em erupção, prefiro me desvendar aos poucos, lentamente, para não me ferir e não ferir ninguém...Essa é uma das únicas certezas que tenho! Talvez infundada também...


Estou cansada de coisas complicadas...
De ficar pensando demais no que fazer...
Duvidas, assombram a minha cabeça.
Como se fossem fantasmas a assombrar uma velha casa...
E elas permanecem na minha cabeça solitária
Por varias e varias horas.
Dias inteiros desperdiçados por não conseguir
Decidir-me...
Até que surge uma coisa nova no ar...Essa coisa nova,qu me ega de supresa...
Leva os pensamentos ruins e duvidas para longe da minha cabeça
E quando elas se vão, não consigo mais pensar nas coisas ruins que
Pensava antes, e muito menos na sensação de antes.
Isso me leva a crer que essas coisas são passageiras e que
Depois de tudo passar as coisas vão ficar melhores,tudo será compreendido...
E realmente melhoram, mas...

"Quando a gente acha que sabe todas as respostas,vem a vida e mudas todas as perguntas" .....

Volto depois pra concluir esse assunto ..rs
Acho mais prudente ...rs

Beijos
bom domingo !

sexta-feira, 19 de junho de 2009


"Preciso tanto aproveitar você
beijar teus olhos, olhar tua boca
e ouvir palavras palavras palavras de um futuro bom!

Palavras, Palavras, Palavras de um futuro bom
Palavras, Palavras"

( Jota Quest )


Preciso tanto ........

terça-feira, 16 de junho de 2009

Dentro de um abraço ....



(...) Fora de nós, qual é o melhor lugar para se estar?

Fico pensando nos lugares paradisíacos onde já estive, e que não me custaria nada reprisar: num determinado restaurante de uma ilha grega, na beira de diversas praias do Brasil, na casa de bons amigos, em algum vilarejo europeu, numa estrada bela e vazia, no meio de um show espetacular, numa sala de cinema vendo a estreia de um filme muito esperado e, principalmente, na minha casa, no meu quarto e na minha cama, que nenhum hotel cinco estrelas consegue superar – a intimidade da gente é irreproduzível.

Em contrapartida, odiaria estar num leito de hospital, numa fila de banco, numa reunião de condomínio, presa num elevador, em meio a um trânsito congestionado, numa cadeira de dentista.

E então? Somando os prós e os contras, as boas e más opções, onde, afinal, é o melhor lugar do mundo?

Dentro de um abraço.

Que lugar melhor para uma criança, para um idoso, para uma mulher apaixonada, para um adolescente com medo, para um doente, para alguém solitário? Dentro de um abraço é sempre quente, é sempre seguro. Dentro de um abraço não se ouve o tic-tac dos relógios. Tudo o que você pensa e sofre, dentro de um abraço se dissolve.

Que lugar melhor para um recém-nascido, para um recém-chegado, para um recém-demitido, para um recém-contratado? Dentro de um abraço nenhuma situação é incerta, o futuro não amedronta, estacionamos confortavelmente em meio ao paraíso.

O rosto contra o peito de quem te abraça, as batidas do coração dele e as suas, o silêncio que sempre se faz durante esse envolvimento físico: nada há para se reivindicar ou agradecer, dentro de um abraço voz nenhuma se faz necessária, está tudo dito.
Que lugar no mundo é melhor para se estar? Na frente de uma lareira com um livro estupendo, em meio a um estádio lotado vendo seu time golear, num almoço em família onde todos estão se divertindo, num final de tarde de frente para o mar, deitado num parque olhando para o céu, na cama com a pessoa que você mais ama?

Difícil bater essa última alternativa, mas aonde começa o amor, senão dentro do primeiro abraço? Alguns o consideram como algo sufocante, querem logo se desvencilhar dele. Até entendo que há momentos em que é preciso estar fora de alcance, livre de qualquer tentáculo. Esse desejo de se manter solto é legítimo, mas hoje me permita não endossar manifestações de alforria. Venho lembrar do local mais aconchegante e naturalmente aquecido que há:

dentro de um abraço que nos baste !
( Martha Medeiros )


Bom dia amigos!
Hoje acordei meio nostálgica, acho que é friozinho, a chuvinha fina que insiste em cair por aqui...rs, Então fui procurar algo pra deixar aqui no blog,e como não é segredo pra ninguém minha identificação com Martha, corri pra ver o que ela tinha escrito por esses dias, me deparei com esse texto, que resume (quase) tudo que estou sentido hoje!
sinto aquela saudade nostálgica das pessoas importantes da minha vida. E também uma saudade estranha das pessoas que não conheço ainda,mas que queria que estivessem perto de mim hoje, sinto saudades dos abraços que conheço,mas que por descuidos,correria, rotina,comodismo, não os tenho a um tempão, sinto também a vontade de abraçar os amigos distantes,as pessoas que as vezes sem perceberem, me fazem um bem danado,seja com um “bom dia”, seja com uma palavra solta por aí, que nem à mim foi dirigida, mas que acalmou meu coração .....
Que todos possam ter a consciência de como um abraço pode ser reconfortante, acolhedor, calmante.

Pra mim, a menor distancia entre duas pessoas é um abraço.

Sempre me despeço de todos com beijos, hoje só vou mandar abraços, muuuitos bem apertados,bem amorosos,bem aconchegantes pra todos! :)

.
PS: Por causa da imagem que estava procurando pra cá, me lembrei de um video,onde um moço pede um abraço, e oferece o dele, gratis !
Pra quem não conheço vale a pena ve-lo!

http://www.youtube.com/watch?v=vr3x_RRJdd4

sábado, 13 de junho de 2009

Imã de Fakes !!



O que leva uma pessoa a fingir ser outra pra atazanar o vida dos outros?

Quero falar agora dos "fakes" : Fakes são pessoas que se fantasiam,que na maioria das vezes vestem uma personalidade que não são deles,que se acham protegidos por um provavel anonimato ...etc!
Pois bem, eu sou pára raio de fakes, de pessoas que não tem o que fazer na vida ..rs, não é possivel ...hahahaha
Pessoas que param ou pararam suas vidas pra perderem tempo cuidando da minha ..rs
Conheço e convivo com alguns fakes até, gente que usa um fake pra preservar sua privacidade,sua imagem...mas que dão suas opiniões com sensatez,com educação e responsabilidade...e de verdade? Não me importo com a presença deles por perto!
Mas infelizmente não é isso que acontece na maioria das vezes, o que vemos por aí são pessoas amarguradas,com o coração cheio de mágoas, ou então pela simples e mórbida maldade mesmo!
Gente que abusa da boa vontade dos outros, que pisa nos sentimentos alheios, e o pior: fazem disso seu divertimento na net ...
Eu pessoalmente já sofri muito com isso,já tive meu caminho cruzado com algumas figuras que me magoaram muito!, Mas como tudo na vida serve de lição pra gente,aprendi que existem pessoas e pessoas por aqui,gente de verdade,gente que não é NADA VIRTUAL quando está conosco é muito raro!
Portanto,não deixo que brinquem comigo do jeito que querem ou então,se a paciencia for grande entro na brincadeira também,faço o joguinho deles,e vejo o que querem... mas isso é por pouco tempo,porque gente assim,não tem nada pra nos oferecer,pra somar conosco...Aí tudo perde a graça,porque pelo menos pra mim,o conteúdo é o que importa!

PS:"Meus Fakes" do momento: Vocês tem me proporcionado boas risadas!...rs

Beeeeeijo à todos!!
Ana ( com um monte de defeitos,algumas poucas qualidades,só que
mais de verdade,impossível..rs )